Dúvidas Frequentes

Tem dúvidas na hora de comprar Tubos e Conexões para sua obra? Preparamos uma seção completa para ajudar você a escolher os melhores produtos e a fiscalizar instalações e manutenções de sistemas hidráulicos, elétricos e de esgotos na sua obra. Em casa, na empresa ou na indústria, independente do projeto, a KRONA quer ajudar você respondendo suas dúvidas.

Página Inicial >> Dúvidas Frequentes >> Reformar ou Consertar

Primeiramente é preciso fazer o cálculo de consumo de água na sua casa. Existem alguns padrões para escolher o tamanho ideal da caixa d’água. O primeiro é basear-se em uma tabela de referência de consumo de água. Por exemplo, uma pessoa morando em uma casa consome, em média, 150 litros por dia. A segunda referência padrão é instalar uma caixa d’água que comporte a quantidade de água necessária para, no mínimo, dois dias. Então, se na sua casa moram três pessoas, o cálculo deverá ser: 3 x 150 litros = 450 litros x 2 dias = 950 litros. Esse deve ser o tamanho mínimo do seu reservatório de água.

O segundo passo é verificar se as entradas e saídas das tubulações têm a mesma conexão com a caixa d’água antiga. De maneira geral, todas as caixas d’água apresentam o mesmo padrão de roscas. Se a caixa ficar em uma altura diferente do que a antiga, é preciso alterar as conexões dos tubos que ficam para fora (da caixa-TIRAR) a fim de assentar as tubulações. Se a conexão antiga é rosqueável, é possível trocar a peça por uma mais longa ou curta. Se a conexão antiga é soldável, corta-se um segmento de tubo e, junto a um novo segmento de mesmo diâmetro, aplica-se as luvas de correr.

Se a tubulação que você deseja mudar de lugar é soldável, a indicação é serrá-la e aplicar um novo segmento de tubo, conectando as partes com Luvas de Correr KRONA.

Sim, esta prática é comum para limpar o ralo e parte da tubulação de pias. Embora os Tubos e Conexões sejam destinados à água fria, não há problema em correr uma vez ou outra água quente ou morna em pequenas quantidades.

Se a água não está correndo no fluxo natural, alguma parte pode estar entupida ou mal instalada. É importante verificar:

  •  Se o sifão está corretamente instalado;
  •  Se existe algum resíduo no sifão, como restos de comida, cabelos e outros objetos;
  •  Nesse caso é preciso fazer uma limpeza ou troca da peça, dependendo do seu estado;
  •  Se a limpeza foi feita e não resolveu é possível que a tubulação esteja entupida. Acione um profissional qualificado para resolver o problema.

O primeiro sinal de que algo não está certo vem na conta de água. A sua fatura teve um aumento expressivo? Reflita se você teve a mesma rotina de uso de água comparado ao mês anterior. Para fazer o teste e conferir se realmente está ocorrendo algum vazamento, verifique o seu relógio de água (hidrômetro) e anote o número que aparece no ponteiro maior. Deixe todos os registros abertos e certifique-se de que as torneiras estão bem fechadas e não as utilize durante o teste. Também não utilize o vaso sanitário. Depois de uma ou duas horas, volte ao relógio de água e veja se o número do ponteiro maior mudou. Caso tenha mudado, está ocorrendo vazamento em algum lugar da sua casa.

Certo, você conseguiu identificar um vazamento na sua parede. Calma, nem sempre é preciso quebrar a estrutura toda. Muitas vezes o reparo pode ser feito de forma pontual. Siga o passo a passo para ter sucesso no conserto:

  • Tenha o plano de instalação hidráulica em mãos e tome conhecimento de todos os tubos que passam por aquela parede.
  • Se conseguir identificar qual é o tubo com problemas, vá até o registro e feche-o.
  • Acione um profissional qualificado para realizar o reparo.
  • Certifique-se de que o prestador de serviço irá quebrar apenas parte da parede, no ponto em que passa o tubo rompido.
  • Ao chegar ao tubo em questão, corte o segmento onde está  a parte danificada.
  • Utilize duas Luvas de Correr e um segmento de tubo novo com o mesmo diâmetro.
  • Certifique-se de que as luvas contenham cada uma dois anéis de vedação.
  • Passe a Pasta Lubrificante KRONA no novo segmento de tubo e, em seguida, insira as luvas de correr.
  • Posicione o novo segmento com as luvas encaixadas entre as duas extremidades do tubo. Leve as Luvas de Correr até o centro das duas emendas.
  • Pronto, agora é só abrir a vazão de água e verificar se as peças estão bem encaixadas. Se continuar vazando, certifique-se que as luvas estão bem encaixadas.
  • Se não houver mais vazamento, você pode cobrir a parede novamente.
  • Se houver mais dúvidas entre em contato com os nossos consultores do chat online no nosso site.

Na verdade, o problema em questão nada tem a ver com a pressão. O que determina a pressão de entrada de água é a altura do reservatório (caixa d’água). Sendo assim, a pressão é idêntica em todos os tubos. O que determina a vazão de água é o tamanho da bitola (diâmetro) dos tubos que é o problema. Quanto maior a bitola, maior a vazão. Um bom profissional poderá verificar se o tamanho da bitola utilizada nas tubulações em questão está adequado. De maneira geral esta parte do projeto hidráulico segue os padrões normativos de tamanho de bitola.

O baixo fluxo de água saindo das torneiras e chuveiros pode estar ocorrendo por outros motivos:

  • Verifique se todos os registros estão abertos o suficiente para dar vazão às torneiras e chuveiros;
  • A torneira pode estar entupida por sedimentos e partículas que podem bloquear a passagem de água. Para saber se é isso mesmo, desatarraxe a torneira e faça uma limpeza no cartucho (peça cilíndrica). É importante verificar se a torneira instalada é de baixo ou alto fluxo;
  • Embora o sistema hidráulico seja projetado para que sempre contenha água dentro das tubulações, às vezes ocorre a falta de água dentro delas e consequentemente entram bolhas de ar dentro dos tubos que vêm da caixa d'água. As bolhas de ar funcionam como uma barreira na passagem de água até as torneiras, descargas e chuveiros. Esse problema é muito comum em áreas em que a falta d'água é frequente. Também é comum acontecer depois das limpezas periódicas da caixa d'água.
  • Você pode tentar, de maneira simples, realizar a remoção da bolha de ar dentro da tubulação. Uma das dicas é acionar primeiro a descarga, depois abrir todas as torneiras da casa e por último os chuveiros. Mas lembre-se sempre de desligar os chuveiros, pois se o ar sair por um deles pode queimá-lo. Se o problema persistir, é recomendada a contratação de um profissional que terá todos os aparatos necessários para solucionar esse impedimento ou qualquer outro apontado;
  • Por isso, é altamente recomendado a instalação de um tubo de ventilação (ventilação de coluna) que, ligado à caixa d'água, expulsa automaticamente as bolhas e melhora o desempenho final das peças;
  • Se o problema está ocorrendo em uma parte específica verifique se há algum vazamento. Para realizar o teste, acesse o item que explica como verificar um vazamento nas tubulações.

Maus cheiros normalmente são sinais de entupimento de ralos, pias e vasos sanitários. Algumas coisas você pode fazer para identificar e lidar com este problema, que sempre deve ser resolvido em sua raiz para evitar futuros transtornos na tubulação de esgoto. São elas:

  • O primeiro passo é identificar de onde o cheiro ruim está saindo;
  • Verifique se todos os sifões estão instalados corretamente;
  • No caso das pias, é possível que o sifão esteja com acúmulo de resíduo. ɉ importante fazer uma limpeza mensal nesta peça. Para isso, desencaixe-o da torneira e limpe bem. Para evitar acúmulos futuros, utilize um ralo em forma de tela que não deixa o resto de comida passar;
  • Pias que não são usadas constantemente podem ter a água do sifão evaporada. A água do sifão tem o importante papel de bloquear o mau cheiro vindo do sistema. Para isso, basta deixar a água correr por um tempo;
  • Aplique algumas soluções limpadoras pelos ralos, como as soluções de água morna, vinagre branco e bicarbonato de sódio;
  • Se o cheiro estiver vindo pelo ralo, retire a grelha e faça uma limpeza, retirando todo o acúmulo de cabelos. Para evitar que o mau cheiro persista, contrate um profissional qualificado e troque os ralos por caixas sifonadas, peças projetadas para evitar esse problema;
  • Se o mau cheiro estiver ocorrendo no vaso sanitário, é possível que o mesmo esteja entupido. Neste caso é preciso chamar um profissional experiente para identificar em que parte da tubulação está o entupimento;
  • O problema também pode estar na falta de ventilação do sistema que dificulta o despejo do vaso sanitário e faz o mau cheiro voltar. ɉ importante verificar se o tubo de ventilação do sistema de esgoto está operando corretamente;
  • Caso nada disso resolva e o mau cheiro persista, contrate um profissional qualificado para verificar se há entupimento nas tubulações ou se os sifões e caixas sifonadas estão funcionando normalmente.

Dica: não jogue nenhum tipo de resíduo pelos ralos, como cabelos e restos de comida. Além de mau cheiro, pode provocar entupimento e problemas muito maiores na sua casa.

A fita veda rosca é uma fita branca utilizada na vedação de tubulações roscáveis, sejam de PVC, PPR ou qualquer outro material. Ela tem a capacidade de isolar uma grande quantidade de materiais. Ao aplica-lá em uma extremidade de tubo ou conexão roscável, é preciso ficar atento ao sentido da rosca e girar a fita no sentido dos ponteiros do relógio. Cerca de seis voltas são suficientes para vedar bem a conexão. Uma dica é não aplicar nas primeiras roscas para facilitar o encaixe.

Embora a prática de jogar soda cáustica pelos ralos e tubos para desentupi-los seja comum, esta não é a maneira mais segura e correta de resolver um problema de entupimento, pois com o tempo pode levar à corrosão da tubulação. Procure um profissional especializado e com todo o aparato para realizar esse serviço de forma permanente. O entupimento pode estar escondido em alguma parte da tubulação em que a soda não alcançará e, portanto, seu problema não será resolvido.

Se a água da sua caixa acoplada estiver vazando por cima, é possível que você esteja com um problema na boia. Abra a caixa, dê a descarga e visualize se a boia está firme e um pouco abaixo da linha do extravasor, tubo que recolhe a água excedente em caso de problemas. Experimente alinhar manualmente a boia, empurrando-a levemente um pouco para baixo. Caso a boia esteja solta, é possível que o encaixe esteja quebrado, necessitando a sua troca. Chame um profissional qualificado para realizar a troca por uma nova boia KRONA.

A limpeza da caixa d'água deve ser feita a cada seis meses, independente de qual for o seu material. Isso porque os resíduos, como poeiras ou folhas, acumulados no fundo do reservatório podem sair pelas torneiras e, com o tempo, entupir as tubulações. Siga os passos básicos para realizar essa limpeza:

  • Feche o registro de entrada, que fica na entrada da caixa;
  • Destampe a caixa d'água, amarre suavemente a boia, deixando-a na posição fechada;
  • Abra todas as torneiras, chuveiros e acione as descargas para esvaziar a caixa d'água, deixando um palmo de água no reservatório;
  • Quando o esvaziamento estiver chegando ao nível de um palmo, feche o registro de saída de água, localizado na parte de fora da caixa d'água;
  • Com um balde, retire ao máximo a água do fundo do reservatório. Utilize um pano limpo e uma esponja para retirar todo restante da água;
  • Seque bem todo o fundo do reservatório;
  • Abra a entrada de água e deixe cair até atingir o nível de um palmo;
  • Despeje cerca de dois litros de água sanitária e deixe de molho por aproximadamente duas horas;
  • No intervalo de uma hora, molhe a esponja ou pano limpo na água com água sanitária e limpe as paredes do reservatório;
  • Depois de duas horas, abra a saída de água da caixa d’água e todas as torneiras, chuveiros e acione as descargas. Dessa forma todos os tubos  vão ser limpos;
  • Pronto, agora é só abrir a entrada de água novamente e deixar correr um pouco por todas as saídas da casa;
  • Tampe bem a sua caixa d'água, evitando o acúmulo de sujeira e larvas de insetos.
GLOSSÁRIO

Não encontrou o que procurava?

Quero falar com*:
Motivo*:

Preencha seus dados:

Nome*:

Profissão*:

E-mail*:

Telefone*:

UF*:

Cidade*:

Razão social da empresa:

CNPJ:

Atividade da empresa:

Como você conheceu a Krona?

Você já é cliente Krona?

Mensagem: